Estudantes de Engenharia

Estudantes de Engenharia

O curso de Bacharelado em Engenharia de Software aborda a teoria e a prática em metodologias e técnicas da computação no processo de desenvolvimento de sistemas de software. Ao final do curso de Bacharelado em Engenharia de Software, espera-se dos alunos:

Qual o lugar onde você mais sonha em trabalhar? Uma pesquisa global da empresa de consultoria Universum fez essa pergunta a quase 240 mil estudantes de engenharia ao redor do mundo. Participaram do levantamento alunos do Brasil, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Rússia, Japão, China, Índia e Austrália. 

A empresa mais desejada é o Google. Microsoft, Apple, BMW e GE completam o top 5. No setor industrial, as companhias automobilísticas se destacam, saindo na frente do segmento favorito no levantamento do ano anterior — bens de consumo. Empresas de hardware e equipamentos de tecnologia também receberam mais destaque em 2015.

Trabalhar no Google é o sonho de muitas pessoas ao redor do mundo. Mas parece que, entre os estudantes de engenharia, a gigante é ainda mais disputada. Uma pesquisa global aponta que as três companhias mais desejadas pelos futuros engenheiros são de tecnologia.

Empresas de serviços, produtos farmacêuticos, bancos e produtos químicos caíram no conceito dos estudantes de engenharia ao longo dos últimos cinco anos. Melissa Bailey, presidente da Universum Américas, afirmou à Forbes que as companhias que avançam no ranking e veem resultados bem-sucedidos são aquelas que dão a chance de seus funcionários continuarem ganhando novas habilidades e se adaptando a um cenário de negócios em mudança constante.

Melissa Bailey, presidente da Universum America, explica que as empresas que aparecem na lista são as que continuam capacitando seus funcionários e os ajudam a ganhar novas habilidades.

A grande maioria das empresas são dos setores de tecnologia e automobilístico. Confira a lista das 15 empresas mais procuradas por estudantes de engenharia.

Confira o ranking:

ColocaçãoEmpresa
Google
Microsoft
Apple
BMW
GE
IBM
Intel
Sony
Siemens
10ª Shell
11ª Samsung
12ª P&G
13ª Volkswagen
14ª Johnson & Johnson
15ª Ford

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Forbes, Época Negócios

O primeiro nanossatélite do Sistema Espacial para Pesquisas com Nanossatélites, da Agência Espacial Brasileira, em parceria com universidades, foi lançado hoje (19) pela agência japonesa, às 8h50, e está a caminho da Estação Espacial Internacional, em órbita a uma distância de 330 a 430 quilômetros da Terra.

O satélite de pequeno porte está a bordo da cápsula japonesa HTV5, que leva também suprimentos e materiais de pesquisa para o laboratório espacial. A previsão é que a cápsula seja acoplada à estação na próxima segunda-feira (24), quando as duas estiverem com as órbitas ajustadas.

O nanossatélite estará em órbita da Terra no final de setembro ou início de outubro. O estudante de engenharia aeroespacial da Universidade de Brasília, Brenno Popov, um dos jovens que ajudaram a criar e a montar o artefato, disse que o desafio é provar a capacidade dos pequenos satélites na transmissão de dados.

O objetivo é que o pequeno satélite seja capaz de receber e devolver mensagens que podem ser baixadas de qualquer lugar do planeta. “Após 30 minutos do lançamento no espaço, o sistema será ligado, e as antenas, liberadas, deixando o satélite pronto para receber comunicações da Terra”, explica o estudante.

A agência brasileira investiu R$ 800 mil no nanossatélite. “Como é um satélite universitário, que os estudantes ajudaram a desenvolver, não há certeza de que vai funcionar. Mas, por ser uma plataforma barata, de fácil manuseio, se der problema, a perda é pequena”, explica Brenno.

Além dos estudantes de Engenharia Aeroespacial e de Engenharia Elétrica da UnB, participaram do projeto alunos das universidades federais de Santa Catarina, do ABC, de Minas Gerais e do Instituto Federal Fluminense; alunos das universidades de Vigo, da Espanha, Morehead State California e State Polytechnic, dos Estados Unidos, e Sapienza Università di Roma, Itália.

Fonte: Agência Brasil e Correio Brasiliense

O Curso

O curso tem o objetivo de oferecer uma formação reunindo uma base de engenharia elétrica, associada a conhecimentos de tecnologias da informação e de redes de comunicação multimídia - voz, dados e imagem, de modo a preparar profissionais com conhecimento de mercado, para atender a novas necessidades da sociedade da informação, no que se refere ao conteúdo, às aplicações e às tecnologias das redes de alta velocidade e redes multimídia como a Internet.

O profissional de Engenharia de Redes de Comunicação tem assim a formação necessária para desenvolver as tecnologias básicas, realizar projetos, desenvolver softwares, implantar, operar e gerenciar redes de telefonia, televisão e comunicações de dados, bem como produzir conteúdo e construir aplicações multimídia integrando assim todos os serviços de redes.

Perfil Profissional

O profissional de Engenharia de Redes de Comunicação exerce atividades de engenheiro projetista de redes, engenheiro integrador de sistemas de comunicação, engenheiro de desenvolvimento de sistemas distribuídos, engenheiro de instalação e operação de redes, gerente de redes, administrador de áreas e departamentos de teleinformática, planejador de arquiteturas corporativas de tecnologia da informação, assessor técnico, engenheiro técnico-comercial, consultor independente, empresário provedor de serviços de redes, administrador de ambientes de tecnologia da informação e de produção de conteúdo, gestor da segurança da informação, professor e pesquisador.

Mercado de Trabalho


O Engenheiro de Redes é formado para atuar em todos os ambientes de aplicação das redes de comunicação, seja para operar tais redes, seja para permitir uma utilização efetiva e produtiva, seja para possibilitar novos desenvolvimentos e aplicações. Em todo o mundo, e com mais razão no Brasil, onde a utilização de serviços de redes não cessa de aumentar, as potenciais aplicações de redes de comunicação abrangem a maior parte das atividades sociais e todos os setores econômicos, permitindo ao engenheiro de redes atender à demanda de um vasto mercado de trabalho composto de concessionárias de telecomunicações, provedores de serviços de redes, empresas usuárias de serviços de redes, bancos e instituições financeiras, empresas de processamento de dados, empresas de consultoria, órgãos públicos, universidades e instituições de pesquisa, indústrias de telecomunicações, fornecedores de equipamento de redes e integradores, além de instituições de ensino e pesquisa.

Matérias

- Cálculo
- Introdução à Álgebra Linear
- Física
- Física Experimental
- Fundamentos de Redes
- Probabilidade e Estatística
- Computação para Engenharia
- Equações Diferenciais
- Sistemas Digitais
- Sistemas de Programação
- Métodos Matemáticos da Física
- Circuitos Elétricos
- Eletromagnetismo Geral
- Sistemas Digitais

 

Engenharia Elétrica é o ramo da engenharia que geralmente trabalha com os estudos e aplicações da eletricidade, eletromagnetismo e eletrônica. Este setor surgiu em meados do século XVI quando da comercialização, da distribuição e utilização da energia elétrica.

História

A eletricidade ficou sujeita ao interesse científico desde o final do século XVII. O primeiro engenheiro eletricista foi provavelmente William Gilbert, inventor do Versório: uma máquina que detectava a presença de objetos com cargas estáticas. Ele também foi o primeiro a desenhar uma explícita distinção entre o magnetismo e a eletricidade estática e é de seu mérito a estabilização do termo eletricidade.[5] Em 1775, Alessandro Volta concebeu em experiências científicas o eletróforo, uma máquina que produz uma carga elétrica estática, e em 1800, Volta desenvolveu a pilha voltaica, um precursor da bateria elétrica.

Perfil Profissional

-

Mercado de Trabalho para quem faz Engenharia Elétrica

O mercado de trabalho para engenheiros elétricos está aquecido. Grandes obras de infraestrutura, a expansão da área de telecomunicações e investimentos em energia renovável têm contribuído para a crescente demanda por profissionais na área de Engenharia Elétrica.

Algumas das empresas que mais contratam este profissional são:

  • Usinas
  • Subestações
  • Linhas de Transmissão
  • Empresas de Telecomunicações
  • Construtoras
  • Indústrias que fabricam sistemas elétricos e de automação

Um engenheiro elétrico pode trabalhar em órgãos públicos (como secretarias, ministérios e instituições municipais, estaduais e federais) e também na iniciativa privada.

 

Onde Estudar Engenharia Elétrica

Confira algumas das principais faculdades reconhecidas pelo MEC que oferecem o curso de Engenharia Elétrica:

Universidades Privadas:
Universidades Públicas:

 

Regulamentação da profissão no Brasil

No Brasil é considerado engenheiro eletricista quem for formado em engenharia elétrica, porém para poder exercer a profissão é necessário registro no sistema do CREA(Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) do estado onde atua.

No artigo 55 da lei nº 5.194 de 1966, é definido como infração o engenheiro que exerça atividade profissional sem registro no CREA do estado em que atua, com penalidade prevista na alínea “b” do artigo 73 da mesma lei.

Dia do Engenheiro Eletricista no Brasil

Comemora-se no Brasil em 23 de novembro o Dia do Engenheiro Eletricista, data em que, no ano de 1913, foi fundado o Instituto Eletrotécnico de Itajubá. Várias outras boas escolas de engenharia elétrica foram criadas posteriormente, a maioria das vezes utilizando-se do conhecimento, do exemplo e até dos recursos humanos formados na Escola de Itajubá. Decretado pela Lei Nº 12.074, de 29 de Outubro de 2009. 

Piso Salarial

A lei n.º 4950-A/66 fixa o piso salarial do profissional de engenharia, estabelecendo valor do menor salário devido ao profissional. 

Ao longo dos anos muito se discutiu se a legislação foi criada para estabelecer piso salarial ou jornada de trabalho. No entanto, a polêmica foi pacificada com a publicação da Súmula 370 do Colendo Superior do Trabalho, cujo entendimento é que a lei nº 4.950-A/66 foi criada para fixar o piso salarial e não jornada de trabalho.

Logo, o salário mínimo profissional equivale a 8,5 salários mínimos para uma jornada de trabalho de 8 horas.

 

Referências: Guia de Carreira, Wikipedia

A engenharia eletrônica é uma área de Engenharia que lida com grandezas elétricas de pequena amplitude e de elevadas frequências, os chamados sinais elétricos ou eletrônicos. A engenharia eletrônica cuida da energia elétrica sob os micro-aspectos de controle, automação e telecomunicação. O estudo da engenharia eletrônica fornece meios para o desenvolvimento de componentes, dispositivos, sistemas e equipamentos como: transistores, circuitos integrados e placas de circuito impresso. Nos Estados Unidos, assim como no Brasil, os cursos de engenharia eletrônica são tradicionalmente dados como conteúdo da engenharia elétrica, tal como definido pelo MEC e CREA no Brasil

História

A engenharia eletrônica a partir do desenvolvimento tecnológico nas indústrias do telégrafo, no final do século 19; e do rádio e telefone no início do século 20. A maior parte do desenvolvimento dessa disciplina ocorreu durante o período da segunda guerra mundial, com o advento do radar, dosonar, dos sistemas de comunicação e de outros sistemas com fins de aplicação bélica. Durante os anos que precederam a segunda guerra o assunto era conhecido como "engenharia de rádio" e apenas no final dos anos 50 o termo engenharia eletrônica começou a surgir. Em 1948 surgiu o transistor e em 1960 o circuito integrado (CI) viria a revolucionar a indústria eletrônica. 

Historicamente considerada mera subdivisão da engenharia elétrica, especialmente durante a "era da válvula", ganhou autonomia plena com o advento da "era do semicondutor", rapidamente sucedida pela era da miniaturização em larga escala.

Perfil Profissional

O profissional em Engenharia Eletrônica deve ser proficiente em várias áreas do conhecimento, como a Matemática, a Física, a Estatística e os tópicos específicos da Eletrônica. Deve também ter conhecimentos básicos acerca de outras engenharias, como a Engenharia Civil e a Engenharia Mecânica.

O Engenheiro Eletrônico deve ter um bom conhecimento dos diversos materiais elétricos e magnéticos usados na área, como a programação de microcomputadores. A eletrônica e os microprocessadores estão causando uma revolução na eletrônica embarcada, tornando os aparelhos usados no dia a dia cada vez mais inteligentes. Boa parte do trabalho que permite esse avanço é realizado pelo Engenheiro Eletrônico.

Mercado de Trabalho

O engenheiro eletrônico tem espaço em qualquer setor que necessite de especialistas em processamento de sinais e informação e no desenvolvimento de equipamentos eletroeletrônicos. Na indústria, os segmentos automobilístico, eletroeletrônico, alimentício, agrícola, têxtil e de eletrodomésticos oferecem boas oportunidades. Em telecomunicação, ele pode trabalhar na conversão das tecnologias de TV digital e internet para os padrões brasileiros. Por fim, existem vagas no setor de mineração, para quem se especializa em automação da extração de minérios e petróleo. As principais oportunidades se concentram nas regiões mais industrializadas, Sul e Sudeste.

 

Área de Atuação

  • Projeto de circuitos eletrônicos;
  • Documentação de circuitos eletrônicos;
  • Teste em circuitos eletrônicos;
  • Adaptação de circuitos eletrônicos à montagem de sistemas;
  • Manutenção de circuitos eletrônicos;
  • Venda de sistemas eletrônicos de alta complexidade;
  • Administração de empresas;
  • Ensino

Referências: UnB Gama, Guia do Estudante, Wikipedia

Podem se inscrever alunos de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo. Ganhadores levam computador e estágio remunerado

Com o objetivo de incentivar ideias inovadoras para a gestão de um trânsito sustentável, a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) abre inscrições até o próximo dia 28 para o Concurso de Projetos de Engenharia de Tráfego. Podem participar da iniciativa alunos de graduação de faculdades públicas e privadas, matriculados e cursando a partir do 5º semestre de Engenharia, Arquitetura, Urbanismo, além de alunos do 4º semestre do curso de Tecnólogos de Gestão de Trânsito e Transporte.

Estão abertas até o dia 28 de agosto as inscrições para o Concurso de Projetos de Engenharia de Tráfego, promovido pela Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador). Podem se inscrever alunos de graduação de faculdades públicas e privadas, matriculados a partir do 5º semestre dos cursos de Engenharia, Arquitetura, Urbanismo, além de alunos do 4º semestre do curso de Tecnólogos de Gestão de Trânsito e Transporte.

O concurso vai escolher os três melhores projetos com o critério da aplicabilidade. O primeiro lugar ganhará um estágio remunerado de até dois anos na Transalvador e um computador.

O segundo e o terceiro colocado receberão estágio remunerado de um ano na Transalvador, e um computador. O segundo lugar terá o benefício de poder prorrogar o contrato de estágio por mais um ano. Quem tiver interesse deve comparecer na Gerência de Educação para o Trânsito (Gedut), na sede da Transalvador, no Vale dos Barris.

A entrega dos projetos acontece de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 15h30. O resultado está previsto para ser divulgado no dia 15 de setembro, no Diário Oficial do Município (DOM). O regulamento completo está disponível no site da Transalvador, na internet.

Fonte: G1 Bahia  e o Jornal da Cidade

Engenharia de Alimentos

14 Agosto 2015, 2:16 pm

É uma área de conhecimento específica capaz de englobar todos os elementos relacionados com a industrialização de alimentos e que pode através do profissional, com esta formação, potencializar o desenvolvimento deste ramo em todos os níveis: seja na formação de profissionais, no subsídio à elaboração de políticas nos projetos de pesquisa, na atuação dentro das empresas do setor, como na colaboração à preservação da saúde pública (normatização técnica, orientação e fiscalização). 

Atualmente, a profissão de Engenheiro de Alimentos está muito difundida, principalmente, nos países desenvolvidos e industrializados, onde desempenha atividades com excelência. Além disso, estes criam intercâmbio com o Brasil, possibilitando o contato com tecnologias de ponta, para posterior adaptação e aplicação às nossas condições.

Número de faculdades 73
Melhores cursos Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Porto Alegre – RS), Universidade Federal de Santa Catarina (Florianópolis – SC), Universidade Federal do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro – RJ)
Vagas disponíveis por ano 4.647
Duração do curso 5 anos
Candidatos 17.045
Candidatos/vaga 3,66
Formandos por ano 1.192

 

 

ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO DE ALIMENTOS

O Engenheiro de Alimentos atua dentro dos seguintes segmentos: 

• Indústria de produtos alimentícios;

• Indústria de insumos para processos e produtos (matérias-primas, equipamentos, embalagens, aditivos);

• Empresas de serviços;

• Órgãos e instituições públicas;

 

Fontes: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)/Ministério da Educação  (MEC), dados de 2010; Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), dados de 2008; UFRGS e Portal Último Segundo

 

O Instituto Militar de Engenharia (IME) está com inscrições abertas para o vestibular até 1º de setembro. A instituição possui dois tipos de formação. A graduação de Oficiais do quadro de Engenheiros Militares destina-se aos jovens que desejam seguir carreira militar. Para esta, são ofertadas 70 vagas. Quem não almeja fazer parte do quadro do Exército, disputará as 28 vagas oferecidas na graduação de oficiais da reserva de segunda classe.

Com duração de cinco anos letivos, o vestibular do Ime é uma boa opção para os estudantes. Na condição de matriculados, recebem benefícios como fardamento, alimentação, assistência médica e dentária. Se concluírem a formação com aproveitamento, serão nomeados ao posto de primeiro- tenente. A remuneração inicial bruta é de R$8.877 mensais.Nos dois casos, as especialidades disponíveis são: Engenharia Civil, Elétrica, Química, Cartografia, Mecânica, Eletrônica, Comunicações, Mecânica de Armamento, Mecânica e Automóveis e de Computação. 

Podem participar candidatos de ambos os sexos que atendam às seguintes exigências: possuir, no mínimo, 16, e no máximo 21 anos e estar em dia com as obrigações eleitorais. Além disso, é preciso ter concluído ou ter condições de terminar o ensino médio em 2015. Para se inscrever, os interessados devem acessar o site do IME e preencher o formulário. A taxa de R$100 pode ser paga através de boleto bancário ou depósito, somente no Banco do Brasil.

O concurso de admissão tem três etapas. A primeira, o exame intelectual, ocorrerá em 15 de outubro. Nele, serão realizadas provas objetivas de Matemática, Física e Química. Os aprovados avançam para a segunda fase do exame. Composta de três provas discursivas e de mais duas objetivas mistas de Português e Inglês, estão marcadas para 26, 27, 28 e 29 de outubro. Os classificados dentro do limite de vagas passarão, ainda, pela inspeção de saúde e pelo teste de aptidão física.
 
As inscrições podem ser feitas pelo site: http://inscricoes.ime.eb.br/vestibular/

Já estão abertas as inscrições para os Estudantes que buscam por uma vaga no Programa de Estágio da Petrobras Distribuidora.

A iniciativa dá oportunidades para estudantes de nível médio (técnico) e nível superior viverem uma experiência de aprendizagem profissional.

Além de capacitar tecnicamente, o estágio possibilita o desenvolvimento sócio-cultural e das relações de trabalho, imprescindíveis para o exercício profissional de excelência.

Uma das características centrais do programa é buscar uma estreita articulação entre todos os agentes envolvidos no mesmo, quais sejam, Estagiários, Representantes dos Estagiários, Monitores, Facilitadores de Estágio e a Equipe Coordenadora.

A Equipe Coordenadora do Programa de Estágio, responsável pelo funcionamento do Programa de acordo com suas diretrizes normativas e filosóficas, gerenciará os processos de estágio em seus aspectos qualitativos, apoiando os agentes do Programa no desenvolvimento de suas atribuições.

Os Facilitadores de Estágio têm como papel zelar pelo bom andamento do processo de estágio em seus aspectos qualitativos, auxiliando no processo de comunicação entre monitores, estagiários e Equipe de Estágio e na distribuição dos estagiários pelas gerências, segundo a dotação vigente.

Responsáveis pela supervisão direta dos estagiários, os Monitores de Estágio (Empregados BR), assumem a orientação, acompanhamento e auxílio aos estagiários, com foco na facilitação do processo de aprendizagem.

Os Representantes de Estagiários são estagiários eleitos por seus pares, tendo entre suas atribuições: a integração e mobilização dos estagiários; a representação dos estagiários junto à Equipe de Estágio e a proposição de soluções, permitindo o constante aperfeiçoamento do Programa. Dos estagiários, é esperado comprometimento e a disponibilidade ao aprendizado com a experiência na empresa, enriquecendo, ao mesmo tempo, as rotinas e práticas de trabalho com o seu conhecimento.

A consonância entre as ações dos diversos agentes é fundamental para o aprimoramento e aperfeiçoamento permanentes do Programa.

Inscrição e requisitos

Para se candidatar a uma vaga de estágio na Petrobras Distribuidora é preciso:

a) ser maior de 16 (dezesseis) anos ou 18 (dezoito) anos no caso de estágios em áreas consideradas como sendo de risco;

b) para estudantes de nível superior (bacharelados), estar cursando os 02 (dois) últimos anos ou 04 (quatro) últimos semestres;

Os estudantes devem está matriculados em cursos de nível Médio/ Técnico e Superior de: Administração de Empresas; Análise de Sistemas; Arquitetura e Urbanismo; Arquivologia; Biblioteconomia; Ciências Biológicas; Ciências Contábeis, Ciências da Computação; Ciências Econômicas; Comunicação Social; Comunicação Social/ Jornalismo; Comunicação Social - Publicidade e Propaganda; Comunicação Social - Relações Públicas; Desenho Industrial; Direito; Engenharia Ambiental; Engenharia Civil; Engenharia de Petróleo e Gás; Engenharia de Produção; Engenharia de Telecomunicações; Engenharia do Meio Ambiente; Engenharia Elétrica; Engenharia Mecânica; Engenharia Mecatrônica; Engenharia Química; Estatística; Informática; Marketing; Pedagogia; Psicologia; Química; Serviço Social; 

c) para estudantes de nível médio (técnico), estar cursando os 02 (dois) últimos anos ou 04 (quatro) últimos semestres. Para aqueles que concluíram o curso é possível realizar o estágio na Companhia, desde que a Instituição de Ensino informe (por meio de declaração) que o estágio é condição indispensável para obtenção de certificado ou diploma;

Os cursos são: Técnico em Administração; Técnico em Contabilidade; Técnico em Edificações Técnico em Eletrônica; Técnico em Eletrotécnica; Técnico em Gestão; Técnico em Gestão de Pequenas e Médias Empresas; Técnico em Informática; Técnico em Logística; Técnico em Manutenção; Técnico em Marketing; Técnico em Mecânica; Técnico em Química; Técnico em Secretariado; Técnico em Segurança do Trabalho; Técnico em Sistemas de Informação; e Técnico em Transporte.

d) estar matriculado em um dos cursos em que a Cia. oferece estágio;

e) estudantes do sexo masculino maiores de 18 anos, estar em dia com as obrigações militares;

f) não oferecemos estágio para os estudantes dos cursos tecnólogos, pós-graduação, mestrado e doutorado.

Os candidatos que têm cadastro e/ou participaram das seleções de anos anteriores deverão atualizar seus dados realizando uma nova inscrição. (Como se ainda não estivessem cadastrados)

Há vagas nos Estados de Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

A bolsa varia de R$ 819,85 a R$ 1.194,37, para o desempenho de atividades em jornadas semanais de 4h ou 6 horas. Além disso, também haverá seguro de acidentes pessoais.

Os candidatos serão convocados para uma entrevista, na medida em que surgirem as vagas, e também serão realizadas outras atividades para avaliação, como redação, tarefas no computador e outras.

As inscrições vão até 14 de outubro de 2015.

Para saber mais, acesse aqui o site da BR Distribuidora.

Fonte: PCI Concursos e Jornal do Brasil