O primeiro nanossatélite do Sistema Espacial para Pesquisas com Nanossatélites, da Agência Espacial Brasileira, em parceria com universidades, foi lançado hoje (19) pela agência japonesa, às 8h50, e está a caminho da Estação Espacial Internacional, em órbita a uma distância de 330 a 430 quilômetros da Terra.

O satélite de pequeno porte está a bordo da cápsula japonesa HTV5, que leva também suprimentos e materiais de pesquisa para o laboratório espacial. A previsão é que a cápsula seja acoplada à estação na próxima segunda-feira (24), quando as duas estiverem com as órbitas ajustadas.

O nanossatélite estará em órbita da Terra no final de setembro ou início de outubro. O estudante de engenharia aeroespacial da Universidade de Brasília, Brenno Popov, um dos jovens que ajudaram a criar e a montar o artefato, disse que o desafio é provar a capacidade dos pequenos satélites na transmissão de dados.

O objetivo é que o pequeno satélite seja capaz de receber e devolver mensagens que podem ser baixadas de qualquer lugar do planeta. “Após 30 minutos do lançamento no espaço, o sistema será ligado, e as antenas, liberadas, deixando o satélite pronto para receber comunicações da Terra”, explica o estudante.

A agência brasileira investiu R$ 800 mil no nanossatélite. “Como é um satélite universitário, que os estudantes ajudaram a desenvolver, não há certeza de que vai funcionar. Mas, por ser uma plataforma barata, de fácil manuseio, se der problema, a perda é pequena”, explica Brenno.

Além dos estudantes de Engenharia Aeroespacial e de Engenharia Elétrica da UnB, participaram do projeto alunos das universidades federais de Santa Catarina, do ABC, de Minas Gerais e do Instituto Federal Fluminense; alunos das universidades de Vigo, da Espanha, Morehead State California e State Polytechnic, dos Estados Unidos, e Sapienza Università di Roma, Itália.

Fonte: Agência Brasil e Correio Brasiliense

O Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica (CREEM) é um evento oficial da Associação Brasileira de Engenharia e Ciências Mecânicas (ABCM) ocorrido anualmente. Inicialmente, o evento tinha caráter regional, sendo suas primeiras edições realizadas na UFRJ, entre 1994 e 1996. Posteriormente, o evento se difundiu em âmbito nacional e, a partir de 1997, diversas universidades do País serviram de sede para o CREEM.

Com expectativa de reunir cerca de mil participantes e tendo como tema central "Aprendizagem Ativa: Engenheiros Colaborativos para um Mundo Competitivo", a 43ª edição do Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia acontece este ano no ABC paulista, na Universidade Federal do ABC, de 8 a 11 de setembro próximo.